Sexta-feira, 20 de Maio de 2011

Principezinho

Exatamente, disse a raposa.

-Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo…"

 

É preciso ter muita paciência. Primeiro, sentas-te um bocadinho afastado de mim, assim em cima da relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada . A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas todos os dias te podes sentar mais perto...

Se vieres sempre ás quatro horas, ás três já eu começo a ser feliz...

Foi assim que o princepesinho cativou a raposa. E quando chegou a hora da despedida:

- Ai! - exclamou a raposa - Ai que me vou pôr a chorar...

... Então não ganhaste nada com isso!

 

 

Assim estou eu hoje, a relembrar esta passagem. POrque estou triste, porque esta despedida foi diferente. Porque me apeteceu chorar. Hoje mais do que nunca percebi, cativaste-me. Hoje sem linguagem percebi que o vazio imperou em ambos. 

Vê bem, e sentirás que gosto de ti. Por agora e depois de agora.


publicado por butiamadreamer às 08:16
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.posts recentes

. ...

. Depois de...

. Principezinho

. Bolhas de Sabão

. ...

.arquivos

. Junho 2011

. Maio 2011

. Julho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010